Questões de filosofia ENEM 2017 corrigidas e comentadas

Questão 1

A moralidade, Bentham exortava, não é uma questão de agradar a Deus, muito menos de fidelidade a regras abstratas. A moralidade é a tentativa de criar a maior quantidade de felicidade possível neste mundo. Ao decidir o que fazer, deveríamos, portanto, perguntar qual curso de conduta promoveria a maior quantidade de felicidade para todos aqueles que serão afetados.
RACHELS, J. Os elementos da filosofia moral. Baruer-SP: Manole, 2006

Os parâmetros da ação indicados no texto estão em conformidade com uma

a. fundamentação científica de viés positivista.
b. transgressão comportamental religiosa.
c. inclinação de natureza passional.
d. convenção social de orientação normativa.
e. racionalidade de caráter pragmático.

RESPOSTA
A alternativa correta é a letra E. Bentham acreditava que o critério adequado para avaliar se uma ação é moral ou não é a quantidade de felicidade produzida. Ele pensava as decisões morais como uma espécie de cálculo racional onde o agente deveria, para avaliar a moralidade de sua ação, somar a felicidade produzida e descontar a infelicidade. Se o saldo fosse positivo, a ação estaria correta; se negativo, incorreta. Saber mais.

Questão 2

Fala-se muito nos dias de hoje em direitos do homem. Pois bem: foi no século XVIIl – em 1789, precisamente que uma Assembleia Constituinte produziu e proclamou em Paris a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Essa Declaração se impôs como necessária para um grupo de revolucionários, por ter sido preparada por uma mudança no plano das ideias e das mentalidades: o Iluminismo.
FORTES, L.R.S. O Iluminismo e os reis filósofos. São Paulo: Brasiliense, 1981 (adaptado).

Correlacionando temporalidades históricas, o texto apresenta uma concepção de pensamento que tem como uma de suas bases a

a. modernização da educação escolar.
b. atualização da disciplina moral cristã.
c. divulgação de costumes aristocráticos.
d. socialização do conhecimento científico.
e. universalização do princípio da igualdade civil.

RESPOSTA
A alternativa correta é a letra E. O Iluminismo foi um movimento de ideias que ganhou aceitação entre intelectuais no século XVIII e inspirou movimentos revolucionários como a Revolução Francesa. Entre outras coisas, os iluministas acreditavam que todos os homens nascem iguais e possui direitos naturais, que o Estado deve respeitar, os chamados direitos civis. Entre esses direitos estão o direito de ir e vir, a liberdade de expressão e pensamento, a liberdade religiosa.

Questão 3

Uma sociedade é uma associação mais ou menos autossuficiente de pessoas que em suas relações mútuas reconhecem certas regras de conduta como obrigatórias e que, na maioria das vezes, agem de acordo com elas. Uma sociedade é bem ordenada não apenas quando está planejada para promover o bem de seus membros, mas quando é também efetivamente regulada por uma concepção pública de justiça. Isto é, trata-se de uma sociedade na qual todos aceitam, e sabem que os outros aceitam, o mesmo princípio de justiça.
RAWLS, J. Uma teoria da justiça. São Paulo: Martins Fontes, 1997 (adaptado)

A visão expressa nesse texto do século XX remete a qual aspecto do pensamento moderno?

a. A relação entre liberdade e autonomia no Liberalismo.
b. A independência entre poder e moral no Racionalismo.
c. A convenção entre cidadãos e soberano do Absolutismo.
d. A dialética entre o indivíduo e governo autocrata do Idealismo.
e. A contraposição entre bondade e condição selvagem do Naturalismo.

RESPOSTA
A resposta correta é a letra A. John Rawls é um filósofo defensor de uma concepção de justiça liberal. Ou seja, ele acredita que uma sociedade justa, entre outras coisas, é aquela que respeita os direitos civis. Saber disso basta para eliminar as demais alternativa e escolher a letra A.

Questão 4

Uma conversação de tal natureza transforma o ouvinte; o contato de Sócrates paralisa e embaraça; leva a refletir sobre si mesmo, a imprimir à atenção uma direção incomum: os temperamentais, como Alcibíades sabem que encontrarão junto dele todo o bem de que são capazes, mas fogem porque receiam essa influência poderosa, que os leva a se censurarem. Sobretudo a esses jovens, muitos quase crianças, que ele tenta imprimir sua orientação.
BREHIER, E. História da filosofia. São Paulo: Mestre Jou, 1977.

O texto evidencia características do modo de vida socrático, que se baseava na
a. contemplação da tradição mítica.
b. sustentação do método dialético.
c. relativização do saber verdadeiro.
d. valorização da argumentação retórica
e. investigação dos fundamentos da natureza.

RESPOSTA
A alternativa correta é a letra B. Sócrates foi um filósofo grego que costuma usar o método dialético para questionar seus interlocutores e fazer com que percebessem que na verdade não saiam o que acreditavam saber. Método dialético, nesse caso, significa oposição, contradição de ideias e, a partir disso, a elaboração de novas ideias, mais sólidas que aquelas das quais se partiu.

Questão 5

A representação de Demócrito é semelhante à de Anaxágoras, na medida em que um infinitamente múltiplo é a origem, mas nele a determinação dos princípios fundamentais aparece de maneira tal que contém aquilo que para o que foi formado não é, absolutamente, o aspecto simples para si. Por exemplo, partículas de came e de ouro seriam princípios que, através de sua concentração, formam aquilo que aparece como figura.
HEGEL, G. W. F. Crítica moderna. In: SOUZA, J. C. (Org.) Os pré-socráticos: vida e obra. São Paulo: Nova Cultural, 2000 (adaptado)

O texto faz uma apresentação crítica acerca do pensamento de Demócrito, segundo o qual o “princípio constitutivo das coisas” estava representado pelo(a)

a. número, que fundamenta a criação dos deuses.
b. devir, que simboliza o constante movimento dos objetos.
c. água, que expressa a causa material da origem do universo
d. imobilidade, que sustenta a existência do ser atemporal.
e. átomo, que explica o surgimento dos entes.

RESPOSTA
A alternativa correta é a E. Demócrito foi um filósofo da natureza defensor da teoria segundo a qual todas as coisas são formadas de átomos. É deles que surgem todas as coisas.

Questão 6

O conceito de democracia, no pensamento de Habermas, é construído a partir de uma dimensão procedimental, calcada no discurso e na deliberação. A legitimidade democrática exige que o processo de tomada de decisões políticas ocorra a partir de uma ampla discussão pública, para somente então decidir. Assim, o caráter deliberativo corresponde a um processo coletivo de ponderação e análise, permeado pelo discurso, que antecede a decisão.
VITALE, D. Jürgen Habermas, modernidade e democracia deliberativa. Cadernos do CRH (UFBA), v. 19, 2006 (adaptado).

O conceito de democracia proposto por Jürgen Habermas pode favorecer processos de inclusão social. De acordo com o texto, é uma condição para que isso aconteça o(a)

a. participação direta periódica do cidadão.
b. debate livre e racional entre cidadãos e Estado.
c. interlocução entre os poderes governamentais.
d. eleição de lideranças políticas com mandatos temporários.
e. controle do poder político por cidadãos mais esclarecidos.

RESPOSTA
A alternativa correta é a letra B. Habermas é um defensor da chamada democracia deliberativa. Trata-se de uma concepção segundo a qual é necessário, numa democracia, que as decisões sejam tomadas a partir do amplo debate, no qual todos os cidadãos podem participar. Assim, as decisões políticas são uma deliberação, ou seja, uma decisão precedida por reflexão. Ou, de acordo com Habermas, pode resultar em “processos de inclusão social”.

Questão 7

Uma pessoa vê-se forçada pela necessidade a pedir dinheiro emprestado. Sabe muito bem que não poderá pagar, mas vê também que não lhe emprestarão nada se não prometer firmemente pagar em prazo determinado. Sente a tentação de fazer a promessa; mas tem ainda consciência bastante para perguntar a si mesma: não é proibido e contrário ao dever livrar-se de apuros desta maneira? Admitindo que se decida a fazê-lo, a sua máxima de ação seria: quando julgo estar em apuros de dinheiro, vou pedi-lo emprestado e prometo pagá-lo, embora saiba que tal nunca sucederá.
KANT, l. Fundamentação da metafísica dos costumes. São Paulo. Abril Cultural, 1980

De acordo com a moral kantiana, a “falsa promessa de pagamento” representada no texto

a. assegura que a ação seja aceita por todos a partir livre discussão participativa.
b. garante que os efeitos das ações não destruam a possibilidade da vida futura na terra.
c. opõe-se ao princípio de que toda ação do homem possa valer como norma universal.
d. materializa-se no entendimento de que os fins da ação humana podem justificar os meios.
e. permite que a ação individual produza a mais ampla felicidade para as pessoas envolvidas.

RESPOSTA
A alternativa correta é a letra C. Kant defende que ações morais são aquelas que estão de acordo com o que chama de imperativo categórico, ou seja, aquelas que podem ser universalizadas. A falsa promessa não pode ser universalizada, segundo Kant, porque, caso isso acontecesse, a prática de fazer promessas seria impossibilitada. Saber mais.

Questão 8

Se, pois, para as coisas que fazemos existe um fim que desejamos por ele mesmo e tudo o mais é desejado no interesse desse fim; evidentemente tal fim será o bem, ou antes, o sumo bem. Mas não terá o conhecimento grande influência sobre essa vida? Se assim é
esforcemo-nos por determinar, ainda que em linhas gerais apenas, o que seja ele e de qual das ciências ou faculdades constitui o objeto. Ninguém duvidará de que o seu estudo pertença à arte mais prestigiosa e que mais verdadeiramente se pode chamar a arte mestra. Ora, a política mostra ser dessa natureza, pois é ela que determina quais as ciências que devem ser estudadas num Estado, quais são as que cada cidadão deve aprender, e até que ponto; e vemos que até as faculdades tidas em maior apreço, como a estratégia, a economia e a retórica, estão sujeitas a ela. Ora, como a política utiliza as demais ciências e, por outro lado, legisla sobre o que devemos e o que não devemos fazer, a finalidade dessa ciência deve abranger as duas outras, de modo que essa finalidade será o bem humano.
ARISTÓTELES, Ética a Nicômaco. In: Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1991 (adaptado)

Para Aristóteles, a relação entre o sumo em e a organização da pólis pressupõe que
a. o bem dos indivíduos consiste em cada um perseguir seus interesses.
b. o sumo em é dado pela fé de que os deuses são os portadores da verdade.
c. a política é a ciência que precede todas as demais na organização da cidade.
d. a educação visa formar a consciência de cada pessoa para agir corretamente.
e. a democracia protege as atividades políticas necessárias para o em comum.

RESPOSTA
A alternativa correta é a letra C. Aristóteles afirma nessa passagem que o estudo do sumo bem, aquilo que buscamos por si mesmo e não tendo em vista outro fim, cabe à política e que, por isso, ela precede todas as demais quando se trata de organizar a sociedade.

  • Esse artigo foi útil para você?
  • Sim   Não

Deixe um comentário, sugestão, crítica