Falácia do acidente, dicto simpliciter

Dicto Simpliciter é uma falácia na qual uma regra geral ou observação é tratada como universalmente verdadeira, independentemente das circunstâncias ou dos indivíduos envolvidos. Também conhecida como a falácia da  generalização não-qualificada  e falácia do acidente. As regras ou leis simplistas raramente levam em consideração exceções legítimas, e ignorar essas exceções é ignorar a realidade para preservar a ilusão de uma lei perfeita. As pessoas gostam da simplicidade e muitas vezes preferem manter a simplicidade ao custo da racionalidade.

Exemplo 1:

Eu acredito que nunca devemos ferir deliberadamente outra pessoa, é por isso que nunca posso ser cirurgião.

Explicação: classificar a cirurgia sob “machucar” alguém, é ignorar os óbvios benefícios que acompanham a cirurgia. Esses tipos de vistas extremas são raramente construídos sobre o motivo.

Exemplo 2

A Bíblia claramente diz: “Não darás falso testemunho”. Portanto, como cristão, é melhor e contar para o vizinho, bêbado com a espingarda na mão,  que sua esposa, a quem ele está querendo matar, está escondida no nosso porão . Caso contrário, você está desafiando o próprio Deus!

Explicação: Assumir qualquer lei, mesmo divina, aplica-se a cada pessoa, em cada momento, em todas as situações, embora não explicitamente declarada, é uma suposição não fundamentada em evidências e um raciocínio falacioso.

Exemplo 3

“O exercício é bom. Portanto, todos devem se exercitar.”

Explicação: O exercício é bom é uma generalização não qualificada. Por exemplo, se você tem doença cardíaca, o
exercício não é bom. Você deve qualificar a generalização.  Você deve dizer que o exercício geralmente é bom, ou o exercício é bom para a maioria das pessoas. Caso contrário, você cometeu um Dicto Simpliciter.