Plano de aula sobre justiça

Autor: Este plano de aula foi criado por Chris Freiler e faz parte de uma série de planos de aula publicados no livro Philosophy in Education: Questioning and Dialogue in Schools, by Jana Mohr Lone and Michael D. Burroughs (Rowman & Littlefield, 2016).
Indicado para: Ensino Médio.
Tópicos abrangidos:  Experiência de pensamento do anel de Giges de Platão; justiça; véu de ignorância de John Rawls.
Tempo estimado: Aproximadamente dois períodos de 50 min.


Objetivos de aprendizado

  • Introduzir os alunos nas questões de justiça como apresentado na República de Platão;
  • Permitir aos alunos a oportunidade de aplicar conceitos de justiça em uma situação específica;
  • Reforçar as dificuldades de obtenção do ideal de justiça;
  • Fornecer oportunidades para o pensamento crítico com debate e escrita;

Plano de Trabalho

Materiais necessários

  • Descrição da história do Anel de Giges
  • Folheto sobre as características de Rammeka (uma sociedade ficcional)
  • Ficha de trabalho para discussão em pequenos grupos e reflexão individual

Descrição

Comece com uma explicação dos objetivos de Platão na República. Explique brevemente como Platão tentou definir o indivíduo justo e a sociedade justa. Platão argumenta que a felicidade para o indivíduo e a harmonia para o estado exigem justiça. O instrutor conectará estas questões a uma teoria contemporânea da justiça (Rawls) e questões atuais de desigualdade.

Para motivar a questão da justiça no que se refere à ação individual, forneça aos alunos a história do Anel de Giges de Platão como uma tarefa de casa ou um folheto. Depois que a história foi lida para a turma, as possíveis questões a serem consideradas incluem:

  • Imagine por um momento que você estava na posse de um tal anel. Como você usaria isso?
  • Se você tivesse uma garantia perfeita de que nunca seria pego ou punido, o que você faria?
  • Se houvesse duas pessoas na posse do anel – uma justa e outra injusta – que diferenças de comportamento, se houver, poderiam ocorrer em seus usos do anel?
  • Outros trabalhos de ficção moderna levantam problemas semelhantes aos encontrados no Anel de Giges (por exemplo, o “anel para governá-los todos” do Senhor dos Anéis e das “Relíquias da Morte” de Harry Potter)?

Para começar uma discussão conceitual mais ampla sobre a justiça, explique que os estudantes agora tentarão criar princípios para uma sociedade justa e equitativa (como definido por John Rawls em Uma teoria da justiça). Os alunos devem imaginar que não sabem nada sobre sua identidade senão que eles são seres racionais. No trabalho de Rawls isso é o que ele chama de “posição original” e “véu da ignorância”, que serve como ponto de partida para decidir sobre os princípios mais justos para uma nova sociedade.

Os alunos serão divididos em grupos de quatro a cinco para completar uma planilha para decidir sobre os princípios para a sociedade de Rammeka, que tem uma história de discriminação contra minorias e tem a demografia geral indicada no folheto (ver folheto em Materiais Suplementares – este folheto pode ser xerocado para os alunos ou escrito no quadro). Os alunos devem ser lembrados de que eles têm a porcentagem de chance indicada no folheto de ser os membros da sociedade e terá de respeitar as regras decididas por seu pequeno grupo. Nota: as percentagens NÃO são cumulativas e podem sobrepor-se (por exemplo, uma pessoa pode ser portadora de necessidades especiais, mulher e negra).

A planilha deve ter as seguintes perguntas:

  1. O que você faria com o anel dos Giges? Explicar. O que você acha que a maioria das pessoas faria com ele?
  2. Defina a justiça (nota: o termo em si ou um sinônimo não deve aparecer na definição).
  3. Decidir como você iria abordar as seguintes políticas a partir da “posição original”, sob um véu de ignorância. Isso significa que a única característica que você possui é a racionalidade. Você não tem ideia do seu sexo, idade, etnia, atitudes religiosas, afiliação política etc.
  • Um sistema de previdência social expansivo (aposentadoria na velhice, seguro universal de saúde, seguro de acidentes e invalidez, seguro desemprego etc.);
  • 75% de imposto sobre propriedades para pessoas que tenham mais de R$ $ 1 milhão (para financiar os serviços acima);
  • Ação afirmativa (baseada na raça e no gênero);
  • Casamento entre pessoas do mesmo sexo;

Após os alunos terem tido a oportunidade de tomar decisões e difundir quaisquer diferenças, inspecione as decisões do grupo e desafie grupos e indivíduos a defenderem seu raciocínio ao resto da turma.

Para concluir esta parte da lição, explique os Três Princípios de Justiça de Rawls. Rawls afirmou que esses três princípios abaixo, listados em ordem de importância, seriam escolhidos na posição original:

  • Igual direito à liberdade coerente com a liberdade dos outros;
  • Justa igualdade equitativa de oportunidades para cargos e profissões;
  • Quaisquer desigualdades sociais ou econômicas devem beneficiar os membros menos favorecidos da sociedade (“o Princípio da Diferença”).

Rawls concebe a justiça como sinônimo de equidade, por isso, sob um véu de ignorância, os legisladores estabelecerão princípios básicos a seguir, possivelmente como indivíduos que não têm vantagem, status ou que foram objeto de discriminação no passado. Convide os alunos a refletirem sobre as conclusões de Rawls e aos próprios princípios.

Para concluir, os alunos devem considerar as seguintes perguntas, que podem ser escritas em uma planilha e/ou apresentadas como uma discussão final de classe:

  • A experiência de pensamento de Rawls é uma maneira apropriada de criar uma sociedade justa? Por que ou por que não?
  • Buscar uma sociedade perfeitamente justa é um objetivo digno?
  • Como você define a justiça?
  • Em que medida a sociedade pode realizar a sua definição na prática?
  • O que dificulta a realização do objetivo de criar uma sociedade perfeitamente justa?
  • Como suas respostas acima podem se conectar de volta à história do Anel dos Giges?

Materiais Suplementares

Descrição do Anel de Giges de Platão: vídeo ou texto

Rawls, John. A Theory of Justice (rev. ed.). Cambridge, MA: Belknap Press, 1999.

F.M. Cornford (Trans.), The Republic of Plato. Oxford, UK: Oxford University Press, 1951.

Folheto: Características de Rammeka

Nota: Rammeka tem uma tradição de discriminação contra vários grupos minoritários.

  • 53 por cento feminino
  • 23 por cento Católico (cristão)
  • 20 por cento evangélicos (cristão)
  • 5 por cento umbandista
  • 7 por cento outras religiões
  • 22 por cento pobre
  • 3 por cento rico
  • 11 por cento veterano
  • 8 por cento gay / lésbica
  • 10 por cento Asiático
  • 55 por cento negro
  • 2 por cento sem teto
  • 7 por cento
  • 6 por cento

Este plano de aula, criado por Chris Freiler, faz parte de uma série de planos de aula publicados no livro Philosophy in Education: Questioning and Dialogue in Schools, by Jana Mohr Lone and Michael D. Burroughs (Rowman & Littlefield, 2016).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *