Questões sobre Immanuel Kant – moral

1. “O imperativo categórico é, portanto só um único, que é este: Age apenas segundo uma máxima tal que possas ao mesmo tempo querer que ela se torne lei universal.”
(KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Trad. de Paulo Quintela. Lisboa: Edições 70, 1995. p. 59.)

 Segundo essa formulação do imperativo categórico por Kant, uma ação é considerada ética quando:
A máxima que rege a ação pode ser universalizada, ou seja, quando a ação pode ser praticada por todos, sem prejuízo da humanidade.
Resposta correta!
Está subordinada à vontade de Deus, que pré estabelece o caminho seguro para a ação humana.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a máxima que rege a ação pode ser universalizada, ou seja, quando a ação pode ser praticada por todos, sem prejuízo da humanidade.”
É determinada pela lei da natureza, que tem como fundamento o princípio de autoconservação.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a máxima que rege a ação pode ser universalizada, ou seja, quando a ação pode ser praticada por todos, sem prejuízo da humanidade.”
Privilegia os interesses particulares em detrimento de leis que valham universal e necessariamente.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a máxima que rege a ação pode ser universalizada, ou seja, quando a ação pode ser praticada por todos, sem prejuízo da humanidade.”

2. (UEL-2007) Na segunda seção da Fundamentação da Metafísica dos Costumes, Kant nos oferece quatro exemplos de deveres. Em relação ao segundo exemplo, que diz respeito à falsa promessa, Kant afirma que uma “pessoa vê-se forçada pela necessidade a pedir dinheiro emprestado. Sabe muito bem que não poderá pagar, mas vê também que não lhe emprestarão nada se não prometer firmemente pagar em prazo determinado. Sente a tentação de fazer a promessa; mas tem ainda consciência bastante para perguntar a si mesma: Não é proibido e contrário ao dever livrar-se de apuros desta maneira? Admitindo que se decida a fazê-lo, a sua máxima de ação seria: Quando julgo estar em apuros de dinheiro, vou pedi-lo emprestado e prometo pagá-lo, embora saiba que tal nunca sucederá.”

Fonte: KANT, I. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. São Paulo: Abril Cultural, 1980, p. 130.  

De acordo com o texto e os conhecimentos sobre a moral kantiana, quais das afirmações a seguir estão corretas.
A falsa promessa é moralmente reprovável porque a universalização de sua máxima torna impossível a própria promessa.
Resposta correta!
Kant considera a falsa promessa moralmente permissível porque ela será praticada apenas para sair de uma situação momentânea de apuros.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a falsa promessa é moralmente reprovável porque a universalização de sua máxima torna impossível a própria promessa.”
A falsa promessa é moralmente reprovável porque vai de encontro às inclinações sociais do ser humano.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a falsa promessa é moralmente reprovável porque a universalização de sua máxima torna impossível a própria promessa.”
Para Kant, o princípio da ação da falsa promessa pode valer como lei universal.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a falsa promessa é moralmente reprovável porque a universalização de sua máxima torna impossível a própria promessa.”

3.(ENEM 2012) Esclarecimento é a saída do homem de sua menoridade, da qual ele próprio é culpado. A menoridade é a incapacidade de fazer uso de seu entendimento sem a direção de outro indivíduo. O homem é o próprio culpado dessa menoridade se a causa dela não se encontra na falta de entendimento, mas na falta de decisão e coragem de servir-se de si mesmo sem a direção de outrem. Tem coragem de fazer uso de teu próprio entendimento, tal é o lema do esclarecimento. A preguiça e a covardia são as causas pelas quais uma tão grande parte dos homens, depois que a natureza de há muito os libertou de uma condição estranha, continuem, no entanto, de bom grado menores durante toda a vida. KANT, I. Resposta à pergunta: o que é esclarecimento? Petrópolis: Vozes, 1985 (adaptado).

Kant destaca no texto o conceito de Esclarecimento, fundamental para a compreensão do contexto filosófico da Modernidade. Esclarecimento, no sentido empregado por Kant, representa
a reivindicação de autonomia da capacidade racional como expressão da maioridade.
Resposta correta!
o exercício da racionalidade como pressuposto menor diante das verdades eternas.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a reivindicação de autonomia da capacidade racional como expressão da maioridade.”
a imposição de verdades matemáticas, com caráter objetivo, de forma heterônoma.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a reivindicação de autonomia da capacidade racional como expressão da maioridade.”
a compreensão de verdades religiosas que libertam o homem da falta de entendimento.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a reivindicação de autonomia da capacidade racional como expressão da maioridade.”
a emancipação da subjetividade humana de ideologias produzidas pela própria razão.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a reivindicação de autonomia da capacidade racional como expressão da maioridade.”

4. Relativismo cultural e a teoria moral kantiana.

Sobre a relação entre relativismo cultural, utilitarismo e a teoria de Kant é possível afirmar:
O relativismo cultural é uma teoria contrária ao utilitarismo e a teoria de Kant, já que estes defendem que só existe um tipo de ação correta.
Resposta correta!
O relativismo cultural e as ideias de Kant se complementam, já que Kant defendia que as normas morais são determinadas pela razão humana e o relativismo afirma que elas são determinadas pela cultura.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “O relativismo cultural é uma teoria contrária ao utilitarismo e a teoria de Kant, já que estes defendem que só existe um tipo de ação correta.”
Stuart Mill, além de utilitarista, também foi um dos defensores do relativismo.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “O relativismo cultural é uma teoria contrária ao utilitarismo e a teoria de Kant, já que estes defendem que só existe um tipo de ação correta.”
Kant era relativista cultural, já que acreditava que cada pessoa deveria seguir seu pensamento ao agir e assim agir de forma autônoma.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “O relativismo cultural é uma teoria contrária ao utilitarismo e a teoria de Kant, já que estes defendem que só existe um tipo de ação correta.”

5. Questão.

Qual das alternativas melhor expressa a fórmula da lei universal do imperativo categórico:
De acordo com a fórmula da lei universal do imperativo categórico, devemos agir de modo que possamos querer que todos ajam da mesma forma.
Resposta correta!
De acordo com a fórmula da lei universal do imperativo categórico, devemos agir da forma que gostaríamos que os outros agissem conosco.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com a fórmula da lei universal do imperativo categórico, devemos agir de modo que possamos querer que todos ajam da mesma forma.”
De acordo com a fórmula da lei universal do imperativo categórico, devemos agir de modo a maximizar o prazer dos afetados pela nossa ação.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com a fórmula da lei universal do imperativo categórico, devemos agir de modo que possamos querer que todos ajam da mesma forma.”
De acordo com a fórmula da lei universal do imperativo categórico, nunca devemos tratar as pessoas apenas como meio.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com a fórmula da lei universal do imperativo categórico, devemos agir de modo que possamos querer que todos ajam da mesma forma.”

6. “Duas coisas me enchem a alma de crescente admiração e respeito, quanto mais intensa e frequentemente o pensamento delas se ocupa: o céu estrelado acima de mim e a lei moral dentro de mim.”

Essa é uma frase de Immanuel Kant. Qual das alternativas abaixo explica de forma mais completa o que Kant está dizendo:
A lei moral da qual fala Kant nessa passagem é o imperativo categórico, uma norma moral universal.
Resposta correta!
A lei moral da qual Kant fala nessa passagem é a nossa consciência, que nos diz o que é certo ou errado.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a lei moral da qual fala Kant nessa passagem é o imperativo categórico, uma norma moral universal.”
As normas morais são universais.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a lei moral da qual fala Kant nessa passagem é o imperativo categórico, uma norma moral universal.”
As normas morais são relativas.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “a lei moral da qual fala Kant nessa passagem é o imperativo categórico, uma norma moral universal.”

7. Questão

Em relação à fórmula do fim em si do imperativo categórico, assinale qual das alternativas está correta.
De acordo com a fórmula do fim em si, uma ação é correta quando tratamos uma pessoa simultaneamente como meio e como fim.
Resposta correta!
De acordo com a fórmula do fim em si, nunca devemos tratar uma pessoa como meio.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com a fórmula do fim em si, uma ação é correta quando tratamos uma pessoa simultaneamente como meio e como fim.”
De acordo com a fórmula do fim em si, uma ação é correta quando tratamos uma pessoa como meio apenas.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com a fórmula do fim em si, uma ação é correta quando tratamos uma pessoa simultaneamente como meio e como fim.”
De acordo com a fórmula do fim em si, uma ação é correta quando tratamos uma pessoa apenas como fim.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com a fórmula do fim em si, uma ação é correta quando tratamos uma pessoa simultaneamente como meio e como fim.”

8. Imagine que você está concorrendo à uma eleição para prefeito. Há apenas outro candidato disputando a eleição e ele está na frente nas pesquisas. Você sabe que ele está mentindo em sua propostas e que sua reais intenções é usar a prefeitura em benefício próprio. E a única maneira de você reverter o resultado é começar a mentir também, para conseguir ganhar a eleição e fazer um mandato em benefício da população.

Assinale qual das alternativas está correta.
De acordo com o pensamento kantiano, não podemos querer que a mentira se transforme numa lei universal, mesmo que o objetivo seja fazer algo bom para as pessoas.
Resposta correta!
De acordo com a fórmula da lei universal, não tem problema mentir já que se todas as pessoas mentissem ninguém confiaria em ninguém e nem ficaria magoado com uma mentira.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com o pensamento kantiano, não podemos querer que a mentira se transforme numa lei universal, mesmo que o objetivo seja fazer algo bom para as pessoas.”
De acordo com a fórmula do fim em si, devemos mentir porque assim estaremos usando as pessoas como meio.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com o pensamento kantiano, não podemos querer que a mentira se transforme numa lei universal, mesmo que o objetivo seja fazer algo bom para as pessoas.”
De acordo com o pensamento utilitarista, não devemos mentir, mesmo que o objetivo seja fazer algo bom para as pessoas.
Resposta incorreta. A alternativa correta é “de acordo com o pensamento kantiano, não podemos querer que a mentira se transforme numa lei universal, mesmo que o objetivo seja fazer algo bom para as pessoas.”
  • Essa página foi útil?
  • Sim   Não

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais...