Imagem com logo do site

Questões sobre o conservadorismo

Quando o conservadorismo surgiu como uma corrente de pensamento política?
No século XVI, durante a Reforma Protestante, quando surgiram as primeiras ideias conservadoras sobre a importância da tradição e da autoridade religiosa.
No século XVIII, durante o Iluminismo, como uma resposta às ideias progressistas e revolucionárias desse período.
No século XIX, como uma reação às mudanças sociais e políticas trazidas pela Revolução Industrial e pelos movimentos de liberalismo.
No século XXI, como uma reação aos governos do Partido dos Trabalhadores (PT) no Brasil, que trouxeram mudanças significativas nas políticas econômicas e sociais.
No século XX, como uma resposta aos avanços do socialismo e do comunismo durante as revoluções e guerras mundiais.

No Brasil, são comuns manifestações contra a inclusão da discussão sobre gênero e sexualidade nas escolas. Grupos conservadores argumentaram que esse conteúdo não deveriam estar presente no currículo escolar.

Com base nos princípios conservadores, como você poderia interpretar a motivação desses grupos que se opõem à inclusão desses temas no currículo escolar?
Esses grupos se opõem à inclusão desses temas porque acreditam na superioridade de um gênero sobre o outro.
A resistência desses grupos é uma manifestação de sua crença na igualdade de todos os indivíduos, independentemente de sua identidade de gênero ou orientação sexual.
A oposição desses grupos é baseada na preocupação com a preservação da economia de livre mercado, que veem como ameaçada por essas discussões.
Esses grupos se opõem porque acreditam que toda educação deve ser estritamente acadêmica, evitando questões de natureza social ou moral.
A oposição desses grupos se baseia em uma defesa da tradição e da instituição da família, percebida como sendo desafiada por essas discussões.
Qual das seguintes opções melhor descreve a visão dos conservadores sobre a igualdade?
Os conservadores acreditam que a igualdade é um objetivo alcançável apenas por meio de políticas de redistribuição de renda e recursos para garantir condições de vida iguais para todos os membros da sociedade.
Os conservadores entendem que a igualdade deve ser alcançada somente através da imposição de restrições legais e regulamentações para nivelar as oportunidades e garantir resultados uniformes para todos os cidadãos.
Os conservadores veem a igualdade como um ideal fundamental e buscam eliminar todas as formas de desigualdade para alcançar uma sociedade justa e equitativa.
Os conservadores consideram que a igualdade é uma ilusão utópica, uma vez que reconhecem que existem diferenças inatas ou naturais entre os indivíduos, tanto em habilidades quanto em ambições.

A Revolução Francesa, que ocorreu entre 1789 e 1799, foi um período de mudanças radicais e políticas na França que teve um impacto duradouro na história do mundo. Durante a revolução, o Antigo Regime foi derrubado e a sociedade francesa passou por uma transformação drástica baseada em princípios de Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Como os conservadores da época, como Edmund Burke, se posicionaram em relação à Revolução Francesa, e quais princípios conservadores foram expressos em suas críticas a esses eventos?
Os conservadores da época, incluindo Burke, apoiaram a revolução, pois acreditavam que ela representava a expressão máxima da liberdade individual, um valor conservador fundamental.
Os conservadores da época, incluindo Burke, se abstiveram de opinar sobre a revolução, pois acreditavam que era um evento estritamente francês, fora de seu âmbito de influência.
Os conservadores da época, incluindo Burke, eram indiferentes à revolução, pois acreditavam que o evento não tinha relevância para a política global.
Os conservadores da época, incluindo Burke, criticaram a revolução, mas apoiaram a ideia de igualdade que a revolução promovia, um valor conservador central.
Os conservadores da época, incluindo Burke, eram contra a revolução, pois acreditavam que a mudança rápida e radical desrespeitava a tradição e a ordem social, princípios que eles valorizavam.

Em 2013, o Conselho Nacional de Justiça do Brasil aprovou uma resolução que proíbe os cartórios de recusarem a celebrar casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo ou de se recusarem a converter uma união estável homoafetiva em casamento. No entanto, essa decisão gerou resistência de grupos conservadores.

Com base nos princípios conservadores, como podemos entender a resistência de alguns grupos à decisão do Conselho Nacional de Justiça?
Esses grupos resistem porque acreditam que a decisão viola a liberdade de expressão dos cartórios para decidir quem eles querem ou não casar.
A resistência se baseia na crença de que o estado não deve ter papel algum na regulação do casamento.
Esses grupos resistem porque a decisão desafia a tradição e a instituição do casamento como eles a entendem.
A resistência é uma manifestação de sua crença de que a lei deve ser determinada estritamente pela vontade da maioria, sem consideração pelos direitos das minorias.
Os grupos resistem à decisão por considerarem que ela interfere nas práticas econômicas de livre mercado dos cartórios.