Questões sobre o conceito de mímesis

Questão 1

Aristóteles é considerado por muitos estudiosos como o primeiro crítico literário. Sua vasta produção, além de abordar Política, Biologia, Metafísica e Ética, também trata de Poética. Acreditava que um grande poeta, como Homero, deveria ser considerado também um filósofo.
Nesse sentido, Aristóteles defendia que a Poesia é superior à História porque
a beleza formal dos versos poéticos não poderia ser igualada ao texto informativo dos historiadores.
a poesia lida com conceitos universais, enquanto a narrativa histórica precisa focar um tema específico.
a poesia poderia ser transformada em peças dramáticas, enquanto textos de história só poderiam ser lidos.
o número de leitores de poesia era muito superior ao de leitores de textos sobre história, na Grécia Antiga.

Questão 2

A arte de imitar está bem longe da verdade, e se executa tudo, ao que parece, é pelo facto de atingir apenas uma pequena porção de cada coisa, que não passa de uma aparição.
Adaptado de: PLATÃO. A República. 7.ed. Trad. de Maria Helena da Rocha Pereira. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1993. p.457.
O imitar é congênito no homem e os homens se comprazem no imitado.
Adaptado de: ARISTÓTELES. Poética. 4.ed. Trad. de Eudoro de Souza. São Paulo: Nova Cultural, 1991. p.203. (Coleção Os Pensadores.)
Com base nos textos, nos conhecimentos sobre estética e a questão da mímesis em Platão e Aristóteles, assinale a alternativa correta.
Para Platão, as obras produzidas pelos poetas, pintores e escultores representam perfeitamente a verdade e a essência do plano inteligível, sendo a atividade do artista um fazer nobre, imprescindível para o engrandecimento da pólis e da filosofia.
Para Platão, a obra do artista é cópia de coisas fenomênicas, um exemplo particular e, por isso, algo inadequado e inferior, tanto em relação aos objetos representados quanto às ideias universais que os pressupõem.
Na compreensão de Aristóteles, a arte se restringe à reprodução de objetos existentes, o que veda o poder do artista de invenção do real e impossibilita a função caricatural que a arte poderia assumir ao apresentar os modelos de maneira distorcida.
Aristóteles concebe a mímesis artística como uma atividade que reproduz passivamente a aparência das coisas, o que impede ao artista a possibilidade de recriação das coisas segundo uma nova dimensão.
Aristóteles se opõe à concepção de que a arte é imitação e entende que a música, o teatro e a poesia são incapazes de provocar um efeito benéfico e purificador no espectador.

Questão 3

Homero, sendo digno de louvor por muitos motivos, é-o em especial porque é o único poeta que não ignora o que lhe compete fazer. De fato, o poeta, em si, deve dizer o menos possível, pois não é através disso que faz a imitação. Os outros intervêm, eles mesmos, durante todo o poema e imitam pouco e raramente. Ele, pelo contrário, depois de fazer um breve preâmbulo, põe imediatamente em cena um homem, uma mulher ou qualquer outra personagem e nenhum sem caráter, mas cada uma dotada de caráter próprio.
ARISTÓTELES. Poética. Trad. A. M. Valente. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2004. p. 94-95.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a mímesis em Aristóteles, assinale a alternativa correta.
As personagens devem aparecer agindo menos e o poeta falando mais, como faz Homero.
Ao dizer o menos possível, Homero coloca as personagens em ação e assim ele é mais imitador.
Ao intervir muito no poema, sem colocar personagens, o poeta imita com qualidade superior.
Homero é elogiado por iniciar seus poemas com breves preâmbulos e pouco se referir a personagens em ação.
O poeta deve fazer uma breve introdução e iniciar a ação narrando sem necessidade de personagens.

Questão 4

Leia o texto a seguir.

[…] a arte imita a natureza [. . . ] Em geral a arte perfaz certas coisas que a natureza é incapaz de elaborar e
a imita. Assim, se as coisas que são conforme a arte são em vistas de algo, evidentemente também o são as
coisas conforme à natureza.

ARISTÓTELES, Física I e II. 194 a20; 199 a13-18. Tradução adaptada de Lucas Angioni. Campinas: IFCH/UNICAMP, 1999. p.47; 58.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre mímesis (imitação) em Aristóteles, assinale a alternativa correta.
O artista deve copiar a natureza, retirando suas imperfeições ao imitá-la com base no modelo que nunca muda.
A arte completa a natureza por ser a capacidade humana para criar e produzir o que a natureza não produz.
O procedimento do artista resulta em imitar a natureza de maneira realista, típica do naturalismo grego.
A arte, distinta da natureza, produz imitações desta, mas são criações sem finalidade ou utilidade.
A arte produz o prazer em vista de um fim, e a natureza gera em vista do que é útil.

Questão 5

Leia o texto a seguir.
Assim, a epopeia e a poesia trágica, também a cômica, […] são, [. . . ] produções miméticas. [. . . ] mas não há nada em comum entre Homero e Empédocles, exceto a métrica; eis porque designamos, com justiça, um de poeta, o outro de naturalista em vez de poeta.
ARISTÓTELES. Poética. 1447 a15; 1447 b16-21. 2. ed. Edição bilíngue. Trad. Paulo Pinheiro. Rio de Janeiro: Editora 34, 2017. p. 37 e 39; 43 e 45
Com base no texto e nos conhecimentos sobre Aristóteles, assinale a alternativa correta.
Mesmo usando métrica, Empédocles é um dos primeiros filósofos que tratam da natureza, enquanto Homero narra os mitos da tradição grega.
Homero e Empédocles, por usarem a metrificação e discursos miméticos, falam dos deuses e heróis da mitologia e da presença deles na natureza.
A escrita tanto de poetas trágicos como de filósofos naturalistas é definida pela métrica, ambos tratando racionalmente da natureza dos deuses.
Métrica e mimética de poetas e naturalistas expressavam o modo como os mitos explicavam o funcionamento da natureza e do cosmo.
Empédocles e Anaximandro, filósofos naturalistas, escreviam em métrica, explicando como os deuses controlavam a natureza.

Questão 6

“Como a composição das tragédias mais belas não é simples, mas complexa, e, além disso, deve imitar casos que suscitam o terror e a piedade (porque tal é o próprio fim desta imitação), evidentemente se segue que [nelas] não devem ser representados nem homens muito bons que passem da boa para a má fortuna – caso que não suscita terror nem piedade, mas repugnância – nem homens muito maus, que passem da má para a boa fortuna, pois não há coisa menos trágica, faltandolhe todos os requisitos para tal efeito; não é conforme aos sentimentos humanos, nem desperta terror ou piedade.”
ARISTÓTELES. Poética, XIII, 1452b 31. Trad. de Eudoro de Souza. São Paulo: Ars Poética, 1993.
Considerando a concepção de poética de Aristóteles, assinale com V ou F conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma a seguir:

( ) Aristóteles concebe que toda poesia trágica é uma imitação (mimese ou mímesis).
( ) A imitação trágica deve ser tal que provoque nos espectadores terror e piedade.
( ) Para atingir seus fins, a tragédia deve ser conforme aos sentimentos humanos.
( ) A tragédia representa homens muito bons que passaram da boa para a má fortuna.

A sequência correta, de cima para baixo, é:
V, V, V, F.
F, F, V, V.
V, F, F, V.
F, V, F, F.

Questão 7

Leia o texto a seguir.
Os melhores de entre nós, quando escutam Homero ou qualquer poeta trágico a imitar um herói que está aflito e se espraia numa extensa tirada cheia de gemidos, ou os que cantam e batem no peito, sabes que gostamos disso, e que nos entregamos a eles, e os seguimos, sofrendo com eles, e com toda seriedade elogiamos o poeta, como sendo bom, por nos ter provocado até o máximo, essas disposições. [. . . ] Mas quando sobrevém a qualquer de nós um luto pessoal, reparaste que nos gabamos do contrário, se formos capazes de nos mantermos tranquilos e de sermos fortes, entendendo que esta atitude é característica de um homem [. . . ]?
PLATÃO. A República. 605 d-e. Trad. Maria Helena da Rocha Pereira. 12. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010. p. 470.
Com base no texto, nos conhecimentos sobre mimesis (imitação) e sobre o pensamento de Platão, assinale a alternativa correta:
O fato de mostrar as emoções de maneira exagerada em seus personagens faz de Homero e de autores de tragédia excelentes formadores na Cidade Ideal pensada por Platão.
A maneira como Homero constrói seus personagens retratando reações humanas deve ser imitada pelos demais poetas, pois é eticamente aprovada na Cidade Ideal platônica.
Poetas como Homero e autores de tragédia provocam emoções de modo exagerado em quem os lê ou assiste, não sendo bons para a formação do cidadão na Cidade Ideal platônica.
Reagir como os personagens homéricos e trágicos é digno de elogio, pois Platão considera que a descarga das emoções é benéfica para a formação ética dos cidadãos.
A imitação de Homero e dos trágicos das reações humanas difere da dos pintores, pois, segundo Platão, não estão distantes em graus da essência, por isso podem fazer parte da cidade justa.

Questão 8

Com base na imagem, nos conhecimentos sobre a filosofia da arte e a estética na contemporaneidade, assinale a alternativa correta.
O artista contemporâneo, a partir da sua obra, tem como objetivo primeiro e único provocar essencialmente prazer e satisfação nos seus espectadores, fazendo que estes sejam tomados completamente pela obra.
A arte contemporânea passou a agradar sem ter que satisfazer obrigatoriamente a assertiva aristotélica de correspondência entre a imagem e o modelo.
O tipo de arte produzida nos séculos XX e XXI tem o compromisso irrevogável de imitar a realidade assim como ela – a arte contemporânea – se apresenta inequivocamente idêntica aos olhos de todos, seja o artista ou o espectador.
Na contemporaneidade, a arte produz um tipo especial de estética ao fazer que esta atinja o seu auge enquanto ciência da sensibilidade que privilegia radicalmente o racional em detrimento do afetivo.
A arte na contemporaneidade assumiu a tarefa de representar simbolicamente, nas obras de arte produzidas manualmente pelo artista ou reproduzidas por algum aparato tecnológico, algum tipo necessário de sabedoria.

Questão 9

No Livro X da República, Platão defende a tese de que os poetas não têm lugar no estado ideal por ele proposto. Essa recusa em aceitar os poetas se deve
ao fato de as criações artísticas dos poetas não terem cunho filosófico.
ao fato de a arte ser uma imitação da aparência, uma cópia da cópia da realidade.
ao fato de os poetas quererem tirar proveito pecuniário com sua arte.
ao fato de as criações dos poetas não serem compreendidas pela maioria dos cidadãos.
ao fato de a arte representar a realidade dos cidadãos, o que causaria problemas para o governo do estado.

Questão 10

Das três alusões à cadeira presentes no trabalho de Joseph Kosuth, o filósofo Platão consideraria como arte
a cadeira física, devido as suas formas e cores luminosas.
o conceito do objeto, dotado de realidade logo identificada.
o conjunto das três referências, pois uma depende necessariamente da outra.
a cadeira empírica, pois ela produz e determina a ideia.
a fotografia da cadeira, que seria a cópia da cópia da ideia.

Questão 11

A figura mostra Atenas na atualidade. Observam-se as ruínas da Acrópolis – onde ficavam os templos como o Parthenon –, o Teatro de Dionísio e a Asthy – com a Ágora (Mercado/Praça Pública) e as casas dos moradores.

Leia o texto a seguir.

Para Aristóteles, a boa convivência entre os habitantes da cidade ideal não seria nunca obtida com a mera apathia (ausência de paixões) platônica, mas somente através de uma boa medida entre razão e afetividade. Enfim, a arte não apenas é capaz de nos trazer saber, ela tem também uma função edificante e pedagógica.

(FEITOSA, C. Explicando a filosofia com arte. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004, p.123.)
Com base na figura, no texto, nos conhecimentos sobre Aristóteles e na ideia de que os espaços do Teatro, da Ágora, dos Templos na cidade de Atenas foram imprescindíveis para a vocação formativa da arte na Grécia Clássica, considere as afirmativas a seguir.

I. A catarse propiciada pelas obras teatrais trágicas apresentadas na cidade grega operava uma transformação das emoções e tornava possível que os cidadãos se purificassem e saíssem mais elevados dos espetáculos.
II. A obra poética educava e instruía o cidadão da cidade grega, e isso acontecia por consequência da satisfação que este sentia ao imitar os atos dos grandes heróis que eram encenados no teatro.
III. O poeta demonstrava o universal como possível ao criar modelos de situações exemplares, que permitem fortalecer o sentimento de comunidade.
IV. O belo nas diversas artes, como nos poemas épicos, na tragédia e na comédia, desvinculava-se dos laços morais e sociais existentes na pólis, projetando-se em um mundo idealizado.

Assinale a alternativa correta.
Somente as afirmativas III e IV são corretas.
Somente as afirmativas I e II são corretas.
Somente as afirmativas I e IV são corretas.
Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Questão 12

Sócrates: Tomemos como princípio que todos os poetas, a começar por Homero, são simples imitadores das aparências da virtude e dos outros assuntos de que tratam, mas que não atingem a verdade. São semelhantes nisso ao pintor de que falávamos há instantes, que desenhará uma aparência de sapateiro, sem nada entender de sapataria, para pessoas que, não percebendo mais do que ele, julgam as coisas segundo a aparência.
PLATÃO. A República. São Paulo: Nova Cultural, 1997 (adaptado).
De acordo com o texto, os poetas não atingem a verdade por
criarem simulacros fantasiosos.
copiarem artistas clássicos.
terem incapacidade técnica.
produzirem obras inteligíveis.
gerarem entretenimento elitista.