Questões sobre o conceito de mito da caverna

Questão 1

Um dos textos mais consagrados da história da filosofia é a alegoria da caverna, escrito por Platão.
Sobre esse texto, pode-se afirmar que
se trata de um texto que apresenta dimensões pedagógicas, filosóficas e políticas.
se trata de um texto que apresenta dimensões pedagógicas, filosóficas e políticas.
seu percurso narra o aprisionamento do filósofo, que perde a liberdade de que desfrutava e passa a viver solitário em uma caverna.
o texto exalta a importância dos sofistas para o conhecimento filosófico.
o texto pressupõe a identificação do conhecimento filosófico com o senso comum.

Questão 2

Texto I
– Considera pois – continuei – o que aconteceria se eles fossem soltos das cadeias e curados da sua ignorância, a ver se, regressados à sua natureza, as coisas se passavam deste modo. Logo que alguém soltasse um deles, e o forçasse a endireitar-se de repente, a voltar o pescoço, a andar e a olhar para a luz, a fazer tudo isso, sentiria dor, e o deslumbramento impedi-lo-ia de fixar os objetos cujas sombras via outrora. Que julgas tu que ele diria, se alguém lhe afirmasse que até então ele só vira coisas vãs, ao passo que agora estava mais perto da realidade e via de verdade, voltado para objetos mais reais? E se ainda, mostrando-lhe cada um desses objetos que passavam, o forçassem com perguntas a dizer o que era? Não te parece que ele se veria em dificuldade e suporia que os objetos vistos outrora eram mais reais do que os que agora lhe mostravam?
(PLATÃO. A República. 7. ed. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1993. p. 318-319.)
O texto é parte do livro VII da República, obra na qual Platão desenvolve o célebre Mito da Caverna. Sobre o Mito da Caverna, é correto afirmar.
I. A caverna iluminada pelo Sol, cuja luz se projeta dentro dela, corresponde ao mundo inteligível, o do conhecimento do verdadeiro ser.
II. Explicita como Platão concebe e estrutura o conhecimento.
III. Manifesta a forma como Platão pensa a política, na medida em que, ao voltar à caverna, aquele que contemplou o bem quer libertar da contemplação das sombras os antigos companheiros.
IV. Apresenta uma concepção de conhecimento estruturada unicamente em fatores circunstanciais e relativistas.
Assinale a alternativa correta.
Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
Somente as afirmativas III e IV são corretas.
Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
Somente as afirmativas I e IV são corretas.
Somente as afirmativas II e III são corretas.

Questão 3

– Considera pois – continuei – o que aconteceria se eles fossem soltos das cadeias e curados da sua ignorância, a ver se, regressados à sua natureza, as coisas se passavam deste modo. Logo que alguém soltasse um deles, e o forçasse a endireitar-se de repente, a voltar o pescoço, a andar e a olhar para a luz, a fazer tudo isso, sentiria dor, e o deslumbramento impedi-lo-ia de fixar os objetos cujas sombras via outrora. Que julgas tu que ele diria, se alguém lhe afirmasse que até então ele só vira coisas vãs, ao passo que agora estava mais perto da realidade e via de verdade, voltado para objetos mais reais? E se ainda, mostrando-lhe cada um desses objetos que passavam, o forçassem com perguntas a dizer o que era? Não te parece que ele se veria em dificuldade e suporia que os objetos vistos outrora eram mais reais do que os que agora lhe mostravam?
(PLATÃO. A República. 7. ed. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1993. p. 318-319.)
O texto é parte do livro VII da República, obra na qual Platão desenvolve o célebre Mito da Caverna. Sobre o Mito da Caverna, é correto afirmar.
I – A caverna iluminada pelo Sol, cuja luz se projeta dentro dela, corresponde ao mundo inteligível, o do conhecimento do verdadeiro ser.
II – Explicita como Platão concebe e estrutura o conhecimento.
III – Manifesta a forma como Platão pensa a política, na medida em que, ao voltar à caverna, aquele que contemplou o bem quer libertar da contemplação das sombras os antigos companheiros.
IV – Apresenta uma concepção de conhecimento estruturada unicamente em fatores circunstanciais e relativistas.
Assinale a alternativa correta.
Somente as afirmativas I e IV são corretas.
Somente as afirmativas III e IV são corretas.
Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
Somente as afirmativas II e III são corretas.
Somente as afirmativas I, II e III são corretas.

Questão 4

A Alegoria da Caverna expõe, em forma de imagem, alguns dos conceitos mais importantes do pensamento platônico, dentre eles os conceitos de doxa e episteme.
Assinale a alternativa que apresenta a descrição correta desses dois conceitos.
Conhecimento verdadeiro, baseado nas aparências e nos sentidos, busca a multiplicidade dos seres; conhecimento falso, baseado na dialética, busca conhecer o uno e o múltiplo.
Conhecimento falso, limitado às aparências e aos sentidos, baseado na multiplicidade; conhecimento verdadeiro, alcançado pela dialética, busca conhecer o que é uno e imutável.
Conhecimento falso, baseado na dialética, busca atingir sempre a unidade da essência para superar as aparências; conhecimento verdadeiro, baseado só nos sentidos do corpo.
Conhecimento relativo, nem verdadeiro, nem falso, baseado na sensibilidade e na dialética; concebe que a verdade emerge do múltiplo para o uno, a saber: as aparências.

Questão 5

A Alegoria da Caverna, de Platão, é um contexto fundamental para que possamos compreender a evolução da filosofia.
Assinale a alternativa correta.
Apesar de ser um texto muito debatido pela filosofia, este é um conhecimento ultrapassado pela lógica aristotélica, visto que os antigos pensadores gregos refutavam e contra-argumentavam seus antecessores, a fim de justificar o seu pensamento.
O texto apresenta as semelhanças e as confusões geradas pela similaridade entre o conceito de senso comum e a definição de senso crítico a partir da observação passiva dos fatos.
Platão apresenta como o mundo sensível regula a percepção do mundo inteligível e como as ideias são forjadas a partir da observação e dos sentidos.
Na alegoria de Platão, a caverna representa a mente humana, já que é inexplorada e de dimensões razoavelmente perceptíveis à primeira vista, mas que pode ser desvelada a partir dos questionamentos do que existe além da escuridão.
No cenário proposto por Platão, o mundo só é verdadeiramente percebido quando é ultrapassada a barreira dos sentidos e se tem uma ampla percepção por meio do pensamento crítico e racional.

Questão 6

— Imagina o seguinte. Se um homem descesse de novo para o seu antigo posto, não teria os olhos cheios de trevas, ao regressar subitamente da luz do Sol? E se lhe fosse necessário julgar daquelas sombras em competição com os que tinham estado sempre prisioneiros acaso não causaria o riso, e não diriam dele que por ter subido ao mundo superior, estragara a vista, e que não valia a pena tentar a ascensão? E a quem tentasse soltá-los e conduzi-los até cima, se pudessem agarrá-lo e matá-lo, não o matariam?
(Platão. A república, 1993. Adaptado.)
O texto, uma passagem da “Alegoria da Caverna”, pode estar se referindo, implicitamente, ao julgamento e execução de Sócrates na cidade de Atenas. A passagem descreve o retorno à caverna do homem que, liberto, conheceu a verdadeira realidade.
Esse homem representa, metaforicamente, o filósofo na pólis como um indivíduo
inativo economicamente, dedicado à contemplação religiosa da luz do Sol.
magnânimo, interessado na justa solução de rivalidades entre grupos políticos.
orgulhoso, voltado para a exposição pública de saberes elevados.
incômodo socialmente, orientado por conhecimentos arduamente adquiridos.
sábio, compenetrado na missão de preparar os futuros líderes da democracia.

Questão 7

Leia o excerto abaixo.
“A alegoria da caverna representa as etapas da educação de um filósofo ao sair do mundo das sombras (das aparências) para alcançar o conhecimento verdadeiro. Após essa experiência, ele deve voltar à caverna para orientar os demais e assumir o governo da cidade. Por isso, a análise da alegoria pode ser feita sob dois pontos de vista.”
ARANHA, Maria Lúcia de Arruda e MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo: Moderna, 2016. p. 109.
Assinale a alternativa que apresenta os dois pontos de vista sobre a educação que são deduzidos da alegoria da caverna.
Dogmático e materialista.
Individualista e teorizante.
Epistemológico e político.
Relativista e democrático.

Questão 8

Leia o texto a seguir.
– Depois disto – prossegui eu – imagina a nossa natureza, relativamente à educação ou à sua falta, de acordo com a seguinte experiência. Suponhamos uns homens numa habitação subterrânea em forma de caverna, com uma entrada aberta para a luz, que se estende a todo comprimento dessa gruta. Estão lá dentro desde a infância, algemados de pernas e pescoços, de tal maneira que só lhes é dado permanecer no mesmo lugar e olhar em frente; são incapazes de voltar a cabeça, por causa dos grilhões; serve-lhes de iluminação um fogo que se queima ao longe, numa eminência, por detrás deles; entre a fogueira e os prisioneiros há um caminho ascendente, ao longo do qual se construiu um pequeno muro, no gênero dos tapumes que os homens dos “robertos” colocam diante do público, para mostrarem as suas habilidades por cima deles.
(PLATÃO. A República. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, s/d., p.315.)
O texto é a abertura do Livro VII da República de Platão, no qual ele expõe sua famosa “Alegoria da Caverna”. Com base nessa Alegoria e na filosofia de Platão, assinale a alternativa correta.
Platão procura, com a Alegoria da Caverna, narrar a situação dos homens que estão presos no mundo sensível e de como deveriam dele se libertar para conhecer a verdade.
A teoria do conhecimento de Platão, expressa na Alegoria da Caverna, estabelece que todo conhecimento verdadeiro se origina nas sensações.
Com a Alegoria da Caverna, Platão mostra que o conhecimento da verdade é impossível, uma vez que os homens estão presos nas sombras desde a infância e jamais poderão se libertar.
Platão descreve, nessa Alegoria, a melhor forma de educação, desde a infância, dos homens da polis, os quais devem ficar presos em uma caverna para não sofrerem influências do mundo externo.
Platão narra a situação de homens que foram presos em Atenas, em razão de crimes que teriam cometido.

Questão 9

Leia o texto a seguir.
– Depois disto – prossegui eu – imagina a nossa natureza, relativamente à educação ou à sua falta, de acordo com a seguinte experiência. Suponhamos uns homens numa habitação subterrânea em forma de caverna, com uma entrada aberta para a luz, que se estende a todo comprimento dessa gruta. Estão lá dentro desde a infância, algemados de pernas e pescoços, de tal maneira que só lhes é dado permanecer no mesmo lugar e olhar em frente; são incapazes de voltar a cabeça, por causa dos grilhões; serve-lhes de iluminação um fogo que se queima ao longe, numa eminência, por detrás deles; entre a fogueira e os prisioneiros há um caminho ascendente, ao longo do qual se construiu um pequeno muro, no gênero dos tapumes que os homens dos “robertos” colocam diante do público, para mostrarem as suas habilidades por cima deles.
(PLATÃO. A República. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, s/d., p.315.)
O texto é a abertura do Livro VII da República de Platão, no qual ele expõe sua famosa “Alegoria da Caverna”. Com base nessa Alegoria e na filosofia de Platão, assinale a alternativa correta.
Com a Alegoria da Caverna, Platão mostra que o conhecimento da verdade é impossível, uma vez que os homens estão presos nas sombras desde a infância e jamais poderão se libertar.
A teoria do conhecimento de Platão, expressa na Alegoria da Caverna, estabelece que todo conhecimento verdadeiro se origina nas sensações.
Platão procura, com a Alegoria da Caverna, narrar a situação dos homens que estão presos no mundo sensível e de como deveriam dele se libertar para conhecer a verdade.
Platão descreve, nessa Alegoria, a melhor forma de educação, desde a infância, dos homens da polis, os quais devem ficar presos em uma caverna para não sofrerem influências do mundo externo.
Platão narra a situação de homens que foram presos em Atenas, em razão de crimes que teriam cometido.

Questão 10

A educação platônica
Imagina a nossa natureza, relativamente à educação ou à sua falta, de acordo com o seguinte caso. Suponhamos homens em uma caverna. Eles estão lá dentro desde a infância, algemados, de tal modo que só lhes é dado olhar para a parede à sua frente. Serve-lhes de iluminação uma fogueira ao longe e tudo o que sempre viram foram sombras projetadas pelo fogo na parede: sombras de pessoas, de objetos etc. Considera pois o que aconteceria se eles fossem soltos das cadeias e curados da sua ignorância; que julgas tu que diriam, se alguém lhes afirmasse que até então eles só viram coisas vãs, enquanto que agora estão mais perto da realidade e da verdade? Precisariam se habituar, julgo, se quisessem ver o mundo superior. A educação seria, pois, a maneira mais fácil e eficaz de, uma vez que eles não olham para onde devem olhar, dar-lhes os meios para tal.
PLATÃO. A república. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2007 (adaptado).
De acordo com a alegoria da caverna de Platão, a educação tal como proposta pelo filósofo permite aos indivíduos a
erudição decorrente da memorização de conteúdos.
consideração de que os pontos de vista são relativos.
contemplação da palavra revelada pelas divindades.
capacitação técnica voltada ao mercado de trabalho.
compreensão da realidade para além das aparências.