Determinismo

Determinismo

Por
William é formado em filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), tem especialização em docência e trabalha como professor de filosofia no ensino médio.
agosto 25, 2019 - 5 min leitura

Significado de determinismo

No nosso universo, os eventos estão relacionados através de cadeias de causa e efeito deterministas.

Vamos ver um exemplo disso:

Se uma pessoa vai para a Lua, onde a atração gravitacional é mais fraca, ela irá flutuar como nos vídeos dos astronautas.

Ao contrário, se essa mesma pessoa, com a mesma roupa e massa, permanecer na Terra, ela ficará bem presa ao chão como todos nós.

A razão para isso é a existência de duas cadeias de causa e efeito diferentes. A interação entre o peso do astronauta e a gravidade da Lua gera o efeito flutuação.

Já a interação entre o mesmo astronauta com a gravidade da Terra faz com que permaneça preso ao chão.

Onde está o determinismo nesse exemplo?

Determinismo é a ideia de que todos os acontecimentos são determinados por causas. 

Ou seja, combinando a massa do astronauta e a atração gravitacional da Terra, teremos necessariamente o efeito de queda. E sempre que essa combinação ocorrer, teremos esse mesmo efeito.

O determinismo está associado à ideia de constância, necessidade e previsibilidade. Não importa quantas vezes façamos o teste, o astronauta e qualquer objeto com massa semelhante irá ficar preso ao solo na Terra e flutuará na Lua. 

o que é determinismo

Determinismo é o contrário de indeterminismo. Em um Universo indeterminista, as coisas se comportam de forma aleatórias e imprevisíveis.

Portanto, as mesmas causas podem resultar em efeitos diferentes, já que elas não determinam o que acontecerá em seguida.

Podemos imaginar uma Terra e Lua aleatórias, em que às vezes as pessoas flutuam ou são atraídas para o solo de forma imprevisível. Em que gatos saem de torneiras e chuveiros cospem fogo. Em um mundo assim tudo seria possível.

Considerando essas duas opções, nosso Universo se parece muito mais com a primeira opção do que com a segunda. 

diferença entre determinismo e indeterminismo

A questão é: 

É possível existir livre-arbítrio em um Universo determinista? Essas duas coisas podem conviver juntas ou uma é incompatível com a outra?

Determinismo e livre-arbítrio

De acordo com uma perspectiva chamada de incompatibilismo, a resposta é não: determinismo e livre-arbítrio não são compatíveis.

Vamos entender porquê.

Quando falamos em livre-arbítrio falamos de futuro aberto.

Por exemplo, ao escolher fazer esse vídeo, eu poderia ter igualmente escolhido fazer uma viagem ou comer hambúrguer. Todas eram opções possíveis. Não era necessário que optasse pelo vídeo. Não havia nenhuma restrição externa que me impedisse de fazer essas coisas. Tudo dependia apenas de minha vontade. Portanto, poderia ter escolhido outra coisa.

Defensores do incompatibilismo concordam com isso, que podemos agir de acordo com nossa vontade. O que eles argumentam é que nossa vontade não é livre, de modo que nosso futuro não é aberto como parece.

Vamos fazer um experimento mental para entender seu argumento.

Imagine um universo no qual uma pessoa, vamos chamar ela de Antônio, nasce em 1998, em 2003 começa a estudar, em 2010 seus pais o levam ao teatro, em 2011 conhece a Júlia que faz teatro, em 2012 começa a gostar de teatro, em 2013 entra para o grupo de teatro da escola e em 2015 para a faculdade de teatro. Talvez por sua constituição genética, gosto pelo teatro ou nome, em 2016 se apaixona por Antônia, sua colega de curso, e faz uma viagem com ela no dia 15 de janeiro para um sítio com cachoeiras.

O que vemos é uma série de causas e efeitos que levaram a esse desejo em Antônio, no dia 15 de janeiro, visitar umas cachoeiras com Antônia. Não fossem algumas dessas causas, talvez eles nem tivessem se conhecido ou desejado ver cachoeiras.

A questão é: Antônio poderia ter escolhido fazer outra coisa? Ou, dada a sequência de causas que o trouxe até aqui, ele foi determinado a agir dessa forma?

Para responder essa pergunta, vamos imaginar um universo paralelo em que tudo ocorreu igual até 15 de janeiro de 2016. Antônio nasceu em 1998 e tudo o que ocorreu na sua vida, desde os mínimos desejos até acontecimentos importantes, foi exatamente igual. 

O que será que ele fará nesse dia 15 de janeiro? 

Se vivemos em um universo determinista, a mesma sequência de causas deve gerar o mesmo efeito. Do contrário, seria um universo aleatório. Só nos resta concluir, portanto, que Antônio fará a mesma coisa, visitará umas cachoeiras no dia 15 de janeiro.

universo determinista paralelo

A única forma de isso não acontecer é uma alteração na sequência causal. Vamos imaginar que em 2016 ocorreu uma pandemia. Aí talvez eles acabem vendo uma série na Netflix. 

Sendo assim, não temos um futuro aberto, em que nós escolhemos o que iremos fazer avaliando várias alternativas possíveis. 

Embora vivamos em uma sociedade na qual temos liberdade política para fazer o que desejarmos, não temos livre-arbítrio pois vivemos em um universo determinista onde nossos desejos são determinados por acontecimentos e desejos anteriores. Consequentemente, não escolhemos realmente nossas ações. 

Essa é a perspectiva do incompatibilismo sobre a relação entre determinismo e livre-arbítrio. Na filosofia temos outras teorias sobre o tema. 

Uma se chama compatibilismo, por defender que o livre-arbítrio é compatível com o determinismo.

E outra se chama libertismo, e argumenta que ações humanas são um tipo especial de evento que não é determinado por causas.

Mas esses são temas dos próximos artigos, sobre o compatibilismo e sobre o libertismo

This post has 6 Comments

  1. narciso souza disse:

    ótimo texto. estou trabalhando o texto no ensino médio, pois vejo nele uma simplificação do pensamento de Hume

    1. Filosofia na Escola disse:

      Sim, Narciso, no exemplo usado para explicar relações de causa e efeito imagino.

  2. Anderson Renato disse:

    Sou estudante de Teologia também e gostaria de saber se Determinismo e livre arbítrio no campo teológico se aplicam iguais aos estudos

    1. Filosofia na Escola disse:

      Oi, Anderson. Sim, é a mesma discussão. Na filosofia teve uma mudança de tópico na modernidade. No início, o problema do livre-arbítrio estava relacionado à uma aparente contradição entre livre-arbítrio humano e onisciência divina. Mas com o desenvolvimento física moderna, de concepções mecanicistas e deterministas sobre a natureza, surgir essa outra contradição: entre o determinismo na natureza e o livre-arbítrio humano.

  3. Anderson Renato disse:

    Sou estudante de Teologia também e gostaria de saber se Determinismo e livre arbítrio no campo teológico se aplicam iguais aos estudos de filosofia.

  4. . disse:

    Ao meu ver o determinismo me parece tão simples, porém modo pode explicar algo tão complexo como a vida? Por exemplo imagine uma caixa cheia de ratoeiras, onde é lançada uma bolinha de ping-pong. Assim ativando o primeiro ratoeira e assim desencadeando um reação em cadeia aleatório onde não poderia ser plicado! Ao meu o determinismo e o livre arbítrio não tem motivo algum de serem trabalhados separadamente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

📧 Vamos manter contato?

Receba periodicamente em seu email uma lista com os últimos artigos publicados. Não se preocupe, não enviamos emails comerciais.