Imagem com logo do site

Questões sobre diálogo entre Sócrates e Eutífron

Qual é o "Dilema de Eutífron" apresentado no diálogo?
Como é possível ser piedoso se os deuses estão constantemente em desacordo?
Uma ação é piedosa porque os deuses a amam ou os deuses amam uma ação porque ela é piedosa?
A piedade humana pode ser comparada à piedade dos deuses?
Os deuses podem ser justos se punem aqueles que agem de acordo com a piedade?
Qual é o principal problema com a afirmação de Eutífron de que "a piedade é aquilo que é agradável aos deuses"?
Os deuses não se importam com a piedade humana.
Os deuses não têm poder para julgar a piedade.
A piedade não pode ser medida pelos padrões divinos.
Nem todos os deuses concordam sobre o que é piedoso.

Texto I

"Então, Eutífron, você não respondeu à minha pergunta. Eu não perguntei o que é, ao mesmo tempo, piedoso e ímpio, algo que os deuses podem amar e odiar ao mesmo tempo. Você disse que a piedade é o que você está tentando fazer, punindo seu pai. Mas não é surpreendente que isso possa ser amado por Zeus, por um lado, e te fazer inimigo de Cronos e Urano, por outro. Da mesma forma, Hefesto pode amar o que você faz, enquanto Hera pode odiá-lo."

A partir do texto acima, podemos perceber que Sócrates fazia filosofia dialogando com as pessoas para
entreter e impressionar os espectadores com suas habilidades dialéticas.
investigar as contradições e inconsistências nas crenças e opiniões delas.
estabelecer sua autoridade como líder filosófico e ganhar seguidores.
coletar informações sobre as diferentes crenças religiosas da época.
convencer as pessoas a adotarem suas próprias ideias e teorias.
Em que local ocorre o diálogo entre Sócrates e Eutífron?
Na casa de Sócrates.
No mercado de Atenas.
Em frente ao tribunal do Arconte Rei ateniense.
No templo de Apolo.
Na Academia de Platão.

Texto I

Cícero, filósofo romano do século I a.C., resumiu a importância de Sócrates:

“Sócrates foi o primeiro a chamar a Filosofia das alturas dos céus, estabelecê-la nas cidades, introduzi-la nas casas das pessoas e forçá-la a investigar a vida cotidiana, a ética, o bem e o mal.”

Texto II

Em um de seus diálogos, Sócrates afirmou:

"Então, Eutífron, você não respondeu à minha pergunta. Eu não perguntei o que é, ao mesmo tempo, piedoso e ímpio, algo que os deuses podem amar e odiar ao mesmo tempo. Você disse que a piedade é o que você está tentando fazer, punindo seu pai. Mas não é surpreendente que isso possa ser amado por Zeus, por um lado, e te fazer inimigo de Cronos e Urano, por outro. Da mesma forma, Hefesto pode amar o que você faz, enquanto Hera pode odiá-lo."

A partir dos textos acima, é possível concluir que.
Sócrates buscava compreender a moralidade e a ética na vida cotidiana, levando em conta as opiniões divergentes dos deuses.
Sócrates estava interessado em estudar a política e a governança, procurando entender o papel dos deuses na liderança das cidades.
Sócrates estava preocupado com questões de metafísica e a existência de uma realidade imutável e eterna.
Sócrates se concentrou na investigação do conhecimento humano, questionando as crenças e opiniões das pessoas sobre a vida cotidiana, a ética e a moralidade.
Sócrates estava interessado em investigar a natureza e os fenômenos celestes, concentrando-se nas explicações mitológicas dos deuses.