Imagem com logo do site

Questões sobre conceito de propriedade privada de Locke

Leia o enunciado abaixo:

[...] esforçar-me-ei por mostrar de que maneira os homens podem vir a ter uma propriedade em diversas partes daquilo que Deus deu em comum à humanidade, e isso sem nenhum pacto expresso por parte de todos os membros da comunidade. LOCKE, J. Dois tratados sobre o governo. Tradução de Julio Fisher. São Paulo: Martins Fontes, 2005. p. 406.– grifo do autor.

Assinale a alternativa que apresenta o fundamento natural da propriedade privada segundo Locke.
A propriedade privada surgiu com o pacto de consentimento em que alguns abdicam da posse do que é comum, dando-o como bem de um indivíduo pelo seu mérito.
O fundamento da propriedade privada consiste essencialmente na propriedade de si mesmo; cada pessoa tem como direito inalienável a propriedade de si mesma.
A propriedade privada é antes de tudo uma dadiva divina que alguns obtêm e outros não, por isso não resulta do trabalho do indivíduo e sim da bondade de Deus.
O fundamento da propriedade privada é o poder estatal que, em última instância, é o verdadeiro proprietário, e que no uso de seu poder redistribui o bem público.
Qual é o ponto de partida das reflexões de Locke sobre o direito de propriedade?
A natureza e tudo o que ela oferece são bens comuns.
A propriedade privada é um direito natural e inalienável.
A propriedade privada deve ser garantida pelo Estado.
A terra deve ser dividida igualmente entre todos os seres humanos.
Segundo Locke, qual é uma das razões naturais que levam à compreensão de que os recursos naturais são bens comuns?
A importância da prosperidade econômica para a sociedade.
A garantia de igualdade de oportunidades na apropriação de recursos naturais.
A necessidade de preservação e subsistência dos seres humanos.
A necessidade de estabelecer limites claros entre o público e o privado.
De acordo com Locke, qual é a relação entre a propriedade do próprio corpo e a propriedade privada?
A propriedade do próprio corpo é um direito alienável, assim como a propriedade privada.
A propriedade do próprio corpo é irrelevante para a discussão da propriedade privada.
A propriedade do próprio corpo é a base para justificar o direito à propriedade privada.
A propriedade do próprio corpo é um bem comum, assim como a propriedade privada.

“Embora a terra e todas as criaturas inferiores sejam comuns a todos os homens, cada homem tem uma propriedade em sua própria pessoa. A esta ninguém tem direito algum além dele mesmo. O trabalho de seu corpo e a obra de suas mãos, pode-se dizer, são propriamente dele. Qualquer coisa que ele então retire do estado com que a natureza o proveu e deixou, mistura-a ele com o seu trabalho e junta-lhe algo que é seu, transformando-a em sua propriedade. Sendo por ele retirada do estado comum em que a natureza a deixou, a ele agregou, com esse trabalho, algo que a exclui do direito comum dos demais homens.” (John Locke. Dois Tratados sobre o governo. II, §27) O trecho acima trata de um tema fundamental para o pensamento liberal: o que vem a ser a propriedade.

De acordo com Locke, a propriedade é
algo que deve ser superado em benefício da humanidade.
fonte de desigualdade social.
aquilo que pertence ao homem a partir de seu trabalho.
uma instituição avessa à natureza humana.
um direito coletivo que se sobrepõe ao indivíduo.
Por que Locke acredita que deve haver uma forma de nos apropriarmos dos recursos naturais?
Porque a apropriação dos recursos naturais é um direito inalienável.
Porque, do contrário, jamais poderíamos usá-los em nosso benefício.
Porque a apropriação dos recursos naturais garante a igualdade de oportunidades.
Porque a apropriação dos recursos naturais é essencial para a formação de uma sociedade organizada.