Argumento válido e correto | Filosofia na Escola

Argumento válido e correto

Um argumento é  formado por um conjunto de proposições das quais uma é a conclusão e as demais são premissas. As premissas do argumento podem ser verdadeiras ou falsas, apenas o argumento em conjunto é válido ou inválido.

Argumento válido

Considere o seguinte exemplo:

Todos as aranhas têm doze pernas.

Todo ser humano é uma aranha.

Portanto, todo ser humano tem doze pernas.

Cada uma das proposições do argumento acima é falsa. Porém, o argumento como um todo é válido. Isso porque um argumento válido é aquele que a conclusão se segue necessariamente das premissas. Ou seja, se as premissas forem verdadeiras, a conclusão também será verdadeira.

Suponha que a primeira e a segunda proposição são verdadeiras. Se você aceita que ambas são verdadeiras, então terá que aceitar que a conclusão também é verdadeira, porque não existe nenhuma possibilidade de a conclusão ser falsa nesse caso.

Considere um segundo exemplo:

A vaca Rosinha tem o pelo preto e branco.

A vaca Beleza tem o pelo preto e branco.

Portanto, todas as vacas têm pelo preto e branco.

As premissas do argumento são verdadeiras, porém a conclusão é falsa. Ou seja, esse é um argumento inválido, já que as premissas são verdadeiras e a conclusão é falsa.

Nota: Um argumento válido é aquele que é impossível que a conclusão seja falsa se as premissas forem verdadeiras. Porém, validade não diz nada sobre a verdade da conclusão. Diz apenas que a conclusão se segue das premissas.

Argumento correto

Um argumento válido pode ter  uma conclusão falsa. Portanto, a validade de um argumento não é garantia de que esse argumento é bom. Em lógica, há outro termo usado para se referir a um argumento que além de ser válido, possui premissas verdadeiras e, portanto, a conclusão verdadeira: sólido ou correto.

Um argumento sólido ou correto é aquele que, além de ser válido, possui premissas verdadeiras.

Análise de argumentos

Quando vamos analisar um argumento, devemos fazer duas perguntas:

  1. As premissas do argumento são verdadeiras?
  2. O argumento é válido, isto é, a conclusão se segue necessariamente das premissas?

Como vimos nos exemplos acima, não basta um argumento ser válido para que seja bom. O primeiro argumento, embora válido, tinha conclusão falsa.

Por outro lado, não basta que um argumento tenha suas premissas verdadeiras para que seja um bom argumento. O segundo exemplo, embora tivesse premissas verdadeiras, levava a uma conclusão falsa.

Portanto, na análise de argumentos, é importante estar a estes dois aspectos: o conteúdo do argumento (se as premissas são verdadeiras) e sua forma (se é válido). Para termos um argumento bom, que justifique sua conclusão, é necessário que seja válido e possua premissas verdadeiras.

A lógica não pode nos dizer nada sobre a verdade das premissas de um argumento. Se nos deparamos com a afirmação “uma aranha tem doze pernas”, não adianta recorrer à lógica para saber se é verdadeira ou falsa. Teremos que fazer uma investigação observando esses insetos e contando seu número de pernas.

A lógica contribui para a análise e avaliação de argumentos mostrando quais são válidos e quais são inválidos. Ao longo da história da lógica, foram desenvolvidos instrumentos para a análise e avaliação de diferentes tipos de argumentos. A lógica silogística e a lógica proposicional são dois exemplos.