René Descartes

René Descartes foi um filósofo francês que é amplamente considerado como o “fundador” da era moderna da filosofia porque desafiou e questionou todos os sistemas tradicionais de pensamento, a maioria dos quais foi fundada sobre as idéias de Aristóteles. René Descartes tratou a filosofia como parte integrante de outros campos como a matemática e a ciência.

Descartes nasceu em 31 de março de 1596, em Touraine, França e morreu: 11 de fevereiro de 1650, em Estocolmo, na Suécia.

Em 10 de novembro de 1619: Descartes experimentou uma série de sonhos intensos que o colocaram em uma missão para desenvolver um novo sistema científico e filosófico.

Livros importantes de René Descartes

  • Meditações Metafísicas (1641)
  • Discurso sobre o método (1637)
  • Princípios de Filosofia (1644)
  • As Paixões da Alma (1649)

Entendendo o sistema cartesiano

Embora René Descartes seja geralmente reconhecido como filósofo, ele também publicou vários trabalhos sobre matemática pura e em campos científicos como a óptica. Descartes acreditava na unidade de todo conhecimento e todo o campo do estudo humano. Ele comparou a filosofia a uma árvore: as raízes são a metafísica, a física é o tronco e os ramos são campos individuais como a mecânica. Tudo está ligado e tudo depende de um fundamento filosófico, mas o “fruto” vem dos ramos que são a  ciência.

Infância e educação

René Descartes nasceu na França em uma pequena cidade perto de Tours, que agora leva seu nome. Ele frequentou uma escola jesuíta onde estudou retórica, literatura e filosofia. Ele se formou em direito, mas desenvolveu uma paixão pela matemática porque o via como um campo onde a certeza absoluta podia ser encontrada.

Ele também viu isso como um meio para alcançar um maior progresso na ciência e na filosofia.

René Descartes duvidou de tudo?

René Descartes percebeu que muito do que ele havia dado por garantido não era confiável, então resolveu desenvolver um novo sistema filosófico ao duvidar de tudo. No processo de derrubar sistematicamente todo conhecimento assumido, ele acreditava que se deparou com uma proposição que não podia ser posta em dúvida: sua própria existência. O mero ato de duvidar pressupunha algo que envolvia dúvida. Esta proposição é famosa expressão cogito, ergo sum: penso, logo existo.

René Descartes e Filosofia

O objetivo de Descartes não era simplesmente contribuir acrescentando novas reflexões à filosofia de seu tempo, mas sim reformar totalmente a filosofia a partir do zero. Descartes pensava que, ao fazer isso, ele poderia construir suas idéias de uma maneira mais sistemática e racional do que se simplesmente acrescentasse novas ideias às coisas feitas anteriormente por outros.

Como Descartes concluiu que ele definitivamente existia, ele também concluiu que existe pelo menos uma verdade existencial que podemos afirmar que sabemos: que nós, como sujeitos individuais, existimos como seres pensantes. É sobre isso que ele tenta basear qualquer outra coisa, porque qualquer filosofia bem fundamentada deve ter, naturalmente, um ponto de partida indubitável.

Daqui ele prossegue através de duas tentativas de provas para a existência de Deus e outras coisas que ele acha que pode deduzir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *