Luta de classes

Por
William é formado em filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), tem especialização em docência e trabalha como professor de filosofia no ensino médio.
dezembro 2019 - 3 min de leitura

Luta de classes é um conceito desenvolvido por Karl Marx para se referir a um conflito entre grupos com interesses econômicos diferentes. Ela ocorre porque ações que beneficiam um grupo prejudicam o outro e vice-versa.

A luta de classes não precisa necessariamente ser um conflito aberto, como uma briga, guerra ou coisas do gênero. Muitas vezes esse conflito se expressa através da disputa de ideias, em uma eleição para o parlamento ou na aprovação de determinadas leis.

Esse é um conceito simples de entender se considerarmos alguns exemplos.

Senhores e escravos

Numa economia escravista, a luta de classes é óbvia. É do interesse dos escravos a liberdade, já o senhor prefere mantê-los preso, pois se beneficia com isso. Há aqui, claramente, um conflito total. Os escravos não têm nenhum interesse em manter sua condição e desejam mudar totalmente com isso.

No caso da escravidão, o conflito é uma guerra declarada com direito à todo tipo de atrocidade por parte dos senhores para manter os escravos cativos.

No nosso segundo exemplo essa luta ocorre de forma um pouco diferente.

Burgueses e proletários

Numa economia capitalista, também há classes sociais. Marx dizia que são basicamente duas, os burgueses e o proletariado.

O burgueses são pessoas que dispõem de capital, são donas de fábricas e têm dinheiro investido em uma série de setores. Se desejarem, podem viver perfeitamente dos retornos de seus investimentos sem precisar trabalhar.

O proletariado, por outro lado, são pessoas que não dispõe de capital e têm que trabalhar em troca de um salário.

Ver também  Socialismo utópico

Essas duas classes têm interesses econômicos diferentes e não é difícil perceber porquê. Suponha que você é um trabalhador assalariado em uma empresa. Você faz seu trabalho, vê que a empresa vai bem e pensa que deveria ser melhor remunerado. Seu patrão, por outro lado, não gosta muito da ideia de aumentar salário, pois isso irá reduzir seu lucro.

Há um conflito permanente aqui. Em alguns momentos ele é mais explícito, noutro menos, mas sempre vai existir esse cabo de guerra entre você e seu patrão.

Essa luta de classes entre trabalhadores e empresários pode se estender para a arena política. Imagine que há uma discussão sobre o aumento do salário mínimo nacional. Você certamente será a favor desse aumento. Seu patrão, muito provavelmente, será contra. Assim, quanto forem eleger um candidato, votarão em partidos opostos. Essa luta também pode tomar outros rumos, como uso massivo de propaganda, protestos, greves, uso da força policial, etc.

Como vê, embora o conceito de luta de classes tenha surgido no século XIX para analisar a sociedade capitalista da época, ele ainda tem utilidade para compreendermos fenômenos sociais atuais.

Referências

Elster, John. Marx, Hoje. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

Engels, Friedrich. Marx, Karl. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2012.

Newsletter

Receba periodicamente novas publicações em seu e-mail.