Plano de aula sobre liberdade e determinismo ou livre-arbítrio

Por
William é formado em filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), tem especialização em docência e trabalha como professor de filosofia no ensino médio.
setembro 2019 - 5 min de leitura

Esse plano de aula introduz aos estudantes conceitos, teorias e argumentos básicos da discussão filosófica sobre livre-arbítrio.


O conteúdo explorado nesse plano de aula está disponível na página Liberdade e determinismo e numa série de páginas ligadas a ela. Todos os recursos, como textos e questões, estão disponíveis como links ao longo do texto.

Introdução ao problema do livre-arbítrio

Aula 1

Para começar a explorar o significado de livre-arbítrio e a relação entre esse e a responsabilidade moral, peça para que os estudantes respondam algumas questões de reflexão. Em seguida, discuta com a turma as respostas. Em especial, destaque o fato de que muitas de nossas vontades possuem uma causa e que consideramos uma condição indispensável para uma pessoa ser responsável que ela tenha agido livremente.

Lista de questões

Aula 2

A ideia de que uma pessoa não tem liberdade só faz sentido se formos capazes de raciocinar de maneira bastante abstrata, deixando de lado nossa experiência imediata. Algo que não é muito fácil de fazer. Para começar a explorar essa ideia, leia com os estudantes o texto A influência da genética no comportamento. Introduza o texto perguntando aos alunos se a genética influencia nosso comportamento ou se ela é responsável apenas por nossas características físicas. Ao final do texto, é importante enfatizar que ninguém defende seriamente um determinismo genético. Ainda assim, faça para a turma questões como: teríamos liberdade se nosso comportamento fosse determinado 100% pelo nosso DNA? Essa é uma forma de mostrar que podemos não ter liberdade não porque alguém interfere em nossa vida, mas porque fomos constituídos de uma forma que somos determinados.

Para concluir, antecipe que na próxima aula conhecerão uma teoria filosófica segundo a qual o comportamento humano é totalmente determinado e não possui livre-arbítrio. Avise também que, embora pareça absurda, a ideia possui argumentos muito sólidos em sua defesa.

Determinismo e incompatibilismo

Aula 1

Apresente aos estudantes a ideia de determinismo causal e a tese de que esse é incompatível com a liberdade humana. Use muitos exemplos e experimentos mentais para tornar essa ideia plausível.

Algo que geralmente desafia os estudantes e prende sua atenção é propor uma recompensa para aquele que conseguir encontrar algum tipo de falha no argumento determinista. Isso vai gerar maior participação ao longo da aula, com os alunos fazendo objeções ao argumento apresentado, e consequentemente, maior compreensão.

Ver: artigo sobre determinismo

Aula 2

Para explorar as implicações do determinismo para a responsabilidade moral, entregue aos alunos um texto com o caso de Nathan Leopold e Richard Loeb e a defesa, que recorre ao determinismo, de seu advogado.

Peça para que, em grupos, estudem o caso e escolham representar o papel de advogados de defesa ou de acusação. Dê um tempo para os grupos prepararem seus argumentos e em seguida simule um júri na sala no qual cada grupo deve se apresentar.

Ver também  Por que e como organizar um debate em sala de aula?

Depois que todos os grupos apresentarem, discuta com a turma a relação entre determinismo e responsabilidade moral e as consequências práticas da adoção de uma perspectiva determinista. Nesse ponto, é importante enfatizar que determinismo não necessariamente implica a impossibilidade de punição. Um determinista, embora negue que seres humanos tenham responsabilidade moral, pode defender a punição como forma de garantir o convívio social.

Libertismo

A próxima teoria filosófica sobre o problema do livre-arbítrio que será apresentada é o libertismo. Nesse ponto, as ideias de Sartre sobre liberdade são uma boa opção.

Inicie a aula contando uma breve biografia do filósofo. Um gancho para o tema da liberdade pode ser seu relacionamento aberto com Beauvoir.

Leia e discuta em aula um excerto do livro O existencialismo é um humanismo e conclua falando sobre porque Sartre pensava que não somos determinados causalmente.

Ver: Sartre e a liberdade

Compatibilismo

A proposta para essa aula é a análise do texto Compatibilismo de W. Stace. Apresente no quadro ou data show um quadro comparativo (veja abaixo) com os conceitos de determinismo, libertismo e compatibilismo e como cada uma dessas teorias aborda o problema do livre-arbítrio. Em seguida, leia com a turma o texto de W. Stace e peça para que discutam e respondam as questões ao final do texto. Nesse momento, circule entre os grupos e se certifique de que todos conseguem compreender como o compatibilismo pretende conciliar liberdade e determinismo.

Quadro comparativo  

Somos determinados? Somos livres? Somos responsáveis?
Determinismo Sim Não Não
Compatibilismo Sim Sim Sim
Libertismo Não Sim Sim

Debate

Para encerrar esse conjunto de aulas sobre o problema do livre-arbítrio, organize com a turma um debate.

Divida a classe em grupo, faça um sorteio para definir a teoria que cada grupo deverá defender e explique a estrutura do debate.

Estrutura do debate
  1. Cada grupo terá um tempo para apresentar sua teoria e aqueles que pensa ser os melhores argumentos em sua defesa. Em seguida, um dos grupos responsável pela defesa da teoria oposta terá a oportunidade de fazer uma crítica, e haverá réplica e tréplica.
  2. Em seguida, é a vez de outro grupo apresentar sua teoria e se defender das críticas.
  3. O debate será encerrado quando todos os grupos apresentarem suas teorias e questionarem o grupo oposto.

Material para pesquisa: Liberdade e determinismo. A página contém uma introdução ao debate sobre o livre-arbítrio e uma série de páginas relacionadas sobre determinismo, libertismo e compatibilismo.

Newsletter

Receba periodicamente novas publicações em seu e-mail.