Ad hominem abusivo | Filosofia na Escola

Ad hominem abusivo

O argumento ad hominem abusivo ocorre quando envolve uma acusação direta contra o caráter do indivíduo colocando em dúvida sua credibilidade através desse ataque. Ataque pode ser direcionado a ações passadas desse indivíduo, suas relações pessoais, sua etnia, crença religiosa, afiliações políticas, orientação sexual ou qualquer outra característica que possa ser vista como negativa. Além disso, o ataque pessoal pode por em questão a capacidade cognitiva da pessoa, questionando sua formação escolar ou até mesmo sugerindo que esta é louca e, portanto, não merece atenção.

Imagine um julgamento de um caso de assassinato. A principal evidência usada pela acusação é o testemunho de um homem que viu o crime ser cometido. Para tentar lançar dúvida sobre a credibilidade das afirmações da testemunha, a defesa apresenta o seguinte argumento:

A testemunha diz ter visto meu cliente cometer o assassinato, porém devemos ter muita cautela com o que afirma. A testemunha é conhecida por ser alcoólatra e seus vizinhos dizem que é um homem capaz de todo tipo de mentiras. Inclusive tem uma série de dívidas com esses.

O argumento apresentado pelo advogado de defesa é um exemplo clássico de ad hominem abusivo já que se limita a atacar a testemunha apresentando uma série de características desfavoráveis.

Nesse exemplo é cometida uma falácia porque os fatos apresentados contra a pessoa não têm relação com a opinião que está sendo discutida. O fato de a testemunha ter uma conduta social reprovável não invalida tudo o que tem a dizer.