Livros sobre argumentação, lógica e falácias | Filosofia na Escola

Livros sobre argumentação, lógica e falácias

Os livros abaixo exploram de maneira aprofundada uma série de discussões sobre falácias, argumentação informal e lógica formal. Todos os livros possuem um link que direciona para a Amazon, onde poderá encontrar mais informações, comentários e valores.

Lógica Informal: manual de argumentação crítica

Esse livro foi escrito por Douglas Walton, atualmente professor da Universidade de Winnipeg no Canadá, uma das principais referências no estudo da Lógica Informal. O livro é um manual introdutório que aborda como construir bons argumentos e como criticar os maus. Ao longo do texto, são analisados mais de 150 exemplos de argumentos, entre os quais dezenas de falácias. Certamente é um dos melhores livros em português para quem deseja melhorar sua capacidade de argumentar e criticar argumentos falhos.

Ver na Amazon

38 estratégias para vencer qualquer debate

Esse livro escrito pelo filósofo Arthur Schopenhauer é um catálogo de todo tipo de abuso argumentativo usado rotineiramente para ganhar debates mesmo sem a menor razão. Certamente é um livro útil para conhecer o que não usar como argumento e treinar a atenção para detectar esse tipo de abuso na fala e escrita de outras pessoas e não se deixar persuadir.

Na lista das estratégias, encontramos recomendações como: “mude as palavras do oponente para confundí-lo”, “use a exceção para destruir a tese”, “deixe seu oponente desequilibrado”. Já se vê por isso que se trata de estratégias para um vale tudo argumentativo, como o que vemos em época de campanha política, cujo único objetivo é vencer o debate.

Ver na Amazon

Como mentir com estatística

Publicidade

Esse livro não é de um filósofo propriamente dito. Mas dada a importância do uso de estatística na argumentação, e da autoridade que têm, considerados relevante incluir esse livro na lista. Escrito por Darrell Huff, o livro foi pioneiro em abordar o mau uso da estatística para maquiar dados e abalizar opiniões.

Segundo Huff, vale ter sempre um pé atrás. Amostras enviesadas, gráficos dúbios, listagens incompletas: item por item o autor apresenta os vilões da interpretação de dados. Em um capítulo, ele aponta como os gráficos estatísticos, mesmo matematicamente corretos, podem não representar em nada a realidade. Em outro, vemos que uma mesma projeção pode mostrar um futuro positivo ou alarmante, dependendo da amplitude de dados que ela cobre. Conhecemos assim uma série de falácias indutivas. O livro termina com um brilhante passo a passo para o leitor aprender a diferenciar informação de enrolação.

Ver na Amazon

Guias ilustrados sobre falácias

O livro ilustrado dos maus argumentos e Guia Ilustrado das Falácias – 34 Maus Argumentos a Serem Evitados são dois livros com uma abordagem totalmente acessível e lúdica sobre falácias. Ambos usam uma série de ilustrações e diálogos para explorar o tema. No entanto, é necessário um cuidado importante com esse tipo de livro: ele peca pela superficialidade. É sempre recomendável, depois desse dessa leitura, ler algo como Lógica Informal, para ter uma compreensão mais completa sobre o tema.

Introdução à lógica

Esse é um livro escrito pelo professor da Universidade Federal de Santa Catarina Cezar Augusto Mortari. Ao contrário dos livros acima, que abordam um campo conhecido como lógica informal, esse trata especificamente da lógica formal. O livro é um manual usado em vários cursos de lógica nas graduações em filosofia no Brasil. Para um leitor sem contato prévio com lógica formal, encontrará um pouco de dificuldade, embora seja um livro introdutório.

Ver na Amazon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tudo que publicamos sobre:

Relacionado

John Locke

John Locke é um filósofo inglês, pai do liberalismo político, um dos principais representantes do empirismo e criador de conceitos como tábula rasa e direitos humanos.

Descartes

Descartes é considerado o pai da filosofia moderna e as suas concepções sobre o conhecimento, método, ciência e a mente humana foram e ainda são muito influentes.

Filosofia da ciência

A filosofia da ciência estuda o que é a ciência, o que diferencia esta de outras formas de saber, como a religião, e o método que usa para produzir conhecimento.