Tu quoque

O argumento tu quoque ou “você também” tenta mostrar que o argumento é falho ao apontar que aquele que está argumentando não está agindo de forma consistente com a conclusão do argumento. Essa falácia ocorre quando alguém cobra do outro com hipocrisia ou inconsistência, a fim de evitar levar a sério a posição contrária.

Forma Lógica:

A pessoa 1 está afirmando que Y é verdadeiro, mas a pessoa 1 está agindo como se Y não fosse verdade.

Portanto, Y não deve ser verdade.

Exemplo 1

Maria: Você não deveria estar comendo isso… foi provado cientificamente que comer hambúrgueres gordurosos não é bom para a saúde.

João: Você come hambúrgueres gordurosos o tempo todo, então isso não pode ser verdade.

Não importa (para o fato de a conclusão ser verdadeira ou não) se Maria segue seu próprio conselho ou não. Embora possa parecer que a razão pela qual ela não segue seu próprio conselho é que ela não acredita que seja verdade, também pode ser que esses hambúrgueres sejam irresistíveis demais.

Exemplo 2

Mãe: Você deveria parar de fumar. É prejudicial à sua saúde.

Filha: Por que eu deveria ouvir você? Você começou a fumar quando tinha 16 anos!

Neste exemplo, a filha comete a falácia tu quoque. Ela rejeita o argumento de sua mãe porque acredita que sua mãe está falando de maneira hipócrita. Enquanto a mãe pode de fato ser inconsistentes, isso não invalida a conclusão de que o cigarro é prejudicial à saúde.

Livraria

O Anticristo
R$ 22

Nietzsche

Além do bem e do mal
R$ 21

Nietzsche

Genealogia da moral
R$ 19

Nietzsche

O mundo de Sofia
R$ 29

Jostein Gaarder

A gaia Ciência
R$ 20

Nietzsche

Nietzsche
R$ 32

Michel Onfray

A revolução dos bichos
R$ 23

George Orwell

Fahrenheit 451
R$ 9

Ray Bradbury